Tâmis Parron

José de Alencar (1829 - 1877), escritos políticos

Dedicada à face política de José de Alencar, esta coleção contém oito obras que o escritor compôs entre 1865 e 1873 sobre as mais agudas questões públicas de seu tempo, desde a Guerra do Paraguai e a escravidão até o uso do Poder Moderador e o sistema eleitoral.

ABOLIÇÃO coleção de panfletos (1883-1887)

Segundo uma leitura corriqueira (e corrida) desse período, seriam obras de importância menor, que tratavam de liquidar uma instituição semimorta desde que a Lei do Ventre Livre dera, em 1871, liberdade aos filhos de escravas nascidos dali por diante.

TRÁFICO NEGREIRO coleção de panfletos (1821-1852)

Um conjunto de recordes desagradáveis associa o Brasil à escravidão. Fomos o país que se envolveu por mais tempo no tráfico negreiro (do século XVI ao XIX), a região que recebeu a maior parte dos africanos escravizados (quase 40% do total), a última nação da América a abolir o cativeiro (1888).

A "Galeria dos brasileiros ilustres": Sisson e a elite imperial

A cena é antológica. Os irmãos gêmeos Pedro e Paulo, protagonistas de Esaú e Jacó (Machado de Assis), descem distraídos pelo centro do Rio e estacam numa loja que vendia gravuras. Pedro, monarquista, cobiça a de Luís XVI; Paulo, republicano, vidra na de Robespierre. Fazem uma improvável pechincha às avessas (para subir o preço), pois nenhum queria seu ídolo mais barato que o do outro.

ESCRAVIDÃO coleção de panfletos (1858-1874)

Em uma crônica de março de 1877, Machado de Assis escreveu que a vida pública nos países representativos estava principalmente nas Câmaras. “Quem se não lembra das sessões de 1871? Vida é luta; onde houver oposição, há contraste, há vida”.

Subscrever Tâmis Parron