Estudos e análises sobre autores e obras do acervo da BBM.

Textos críticos

João da Cruz e Souza (1863-1898)

O catarinense João da Cruz e Souza (1863-1898), filho de escravos, em eterno conflito entre a matéria e o espírito, com verdadeira obsessão pelos brilhos e pela cor branca, escreveu ao todo cinco obras, duas publicadas em vida, Missal e Broquéis (ambas em 1893), e três postumamente: Evocações (1898), Faróis (1900) e Últimos sonetos (1905).

Theodor Koch Grunberg

Sua contribuição é fundamental para o estudo dos povos indígenas da Amazônia, seus mitos e suas lendas. Suas observações e relatos de viagem constituem uma importante fonte para a antropologia, a etnologia e a história indígena.

"Música do Parnasso" de Manoel Botelho de Oliveira

Musica do Parnasso vem à luz quando já se consolidava uma reação à poesia seiscentista italiana e espanhola. Seu autor, Manuel Botelho de Oliveira (1636-1711), nasceu em Salvador, Bahia. Estudou Direito na Universidade de Coimbra e retornou ao Brasil, onde exerceu a advocacia, foi vereador em Salvador e Capitão-mor de ordenanças.

Joaquim Nabuco (1849-1910)

Joaquim Aurélio Nabuco de Araújo. Nome comprido, origem aristocrática. Nabuco veio ao mundo, em 1849, filho de José Thomaz Nabuco de Araújo, membro da aristocracia burocrática e um dos líderes políticos do Segundo Reinado.

Cartas do Padre Antônio Vieira

A copiosidade, variedade de assuntos, relevância política e densidade literária do epistolário do Padre Antônio Vieira (1608-1697) lhe conferem verdadeira autoridade no gênero. A coleção conhecida possui cerca de 750 cartas, havendo outras por descobrir ou editar, e representa o fruto de um longo trabalho de compilação iniciado logo depois da sua morte.

Páginas