+ Mostrar Filtros
Filtros

Epidemias do Passado: A varíola pela ótica do cronista João do Rio

dentro da noite

Epidemias do passado: Uma epidemia entre os tupinambás narrada por Hans Staden

HS

A chegada dos europeus nas Américas foi o acontecimento mais terrível para as populações ameríndias. A lista infernal dos males que dizimaram muitos povos, diminuíram drasticamente a população de outros e ameaçam ainda hoje a existência dos que...

Epidemias do passado: Retirada da Laguna: a doença como pior inimiga

Retirada_rosto

Durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), as epidemias eram provavelmente as inimigas mais temíveis dos exércitos em conflito. Cólera, malária, tifo, beribéri causavam tantas ou mais mortes do que os confrontos bélicos...

Epidemias do passado: Sarampo, Belém, 1748 e Febre amarela, Rio de Janeiro, 1850

Notícia verdadeira do terrível contágio

Dois documentos presentes no acervo digital da BBM dedicam-se a relatar dois surtos epidêmicos ocorridos no Brasil. Cerca de um século separa os dois eventos. O primeiro documento é um breve relato sobre a epidemia de sarampo que assolou Belém do Par

"Música do Parnasso" de Manoel Botelho de Oliveira

""'""Música do Parnasso'"" de

O barroco vigorou no Brasil no século XVII e início do XVIII, influenciado pelo gongorismo espanhol e com características do barroco europeu, numa época de transição entre uma visão de mundo teocêntrica e antropocêntrica.

Floreal: uma iniciativa radical

Floreal: uma iniciativa radica

De pequeno formato (15 x 20 cm aproximadamente), com edições variando de 39 a 56 páginas, a revista Floreal apareceu na primavera de 1907, sob a direção do escritor Lima Barreto, para deixar de ser publicada dois meses

Castro Alves (1847-1871)

Castro Alves (1847-1871)

Antonio de Castro Alves (1847-1871) foi o último dos grandes poetas românticos brasileiros e o mais bem realizado cultor de um tipo de poesia que ficou conhecida como “condoreira”, isto é, caracterizada pela pr

Arte de Gramática da Língua mais usada na Costa do Brasil (1595)

Arte de Gramática da Língua ma

A Arte de Gramática da Lingoa mais usada na costa do Brasil foi escrita pelo padre

Joaquim Norberto de Sousa Silva: historiador;filólogo e musicólogo

Joaquim Norberto de Sousa Silv

Embora Joaquim Norberto tenha transitado pelas áreas da poesia, do teatro e do romance, foi no campo da história onde ele sempre esteve mais à vontade, e no qual investiu seu fôlego de pesquisador aplicado e operoso. Dentro do

""As edições de '""Marilia de Dirceo'""";"de Tomás Antônio Gonzaga""

""As edições de '""Marilia de

Tomás Antônio Gonzaga nasceu no Porto (Portugal) em 11 de agosto de 1744. Veio para o Brasil aos sete anos, órfão de mãe e acompanhado pelo pai, aqui permanecendo até ser enviado para estudar na Universidade de Coimbra, onde se